top of page

JORNALISMO DE MODA: QUAIS AS HABILIDADES NECESSÁRIAS?



Um dos textos de maior sucesso por aqui é o post que fiz sobre "Como se tornar um jornalista de moda" e aproveitando que tem muitos leitores interessados nesse assunto, quero compartilhar um insight recente que tive ao ler um livro escrito por uma jornalista cuja escrita me prendeu de uma forma que poucos livros de moda causaram a sensação que este causou.


A autora em questão é Maureen Callahan e o livro é Champagne Supernovas. No livro ela aborda o mundo da moda nos anos 1990 e conta a história de Marc Jacobs, Kate Moss e Alexander McQueen.


O que chama a atenção no livro e na escrita de Maureen é a riqueza de detalhes e um panorama cultural sobre o que estava acontecendo naquela década. Ela cita uma quantidade absurda de pessoas e acontecimentos para contextualizar cada evento.


Curiosa que sou, fui olhar o perfil profissional dela e olha só o que descobri: "Maureen é escritora, colunista, comentarista e premiada jornalista investigativa com textos que cobrem política, ativismo e até cultura pop em veículos renomados como Vanity Fair, New York, Spin e New York Post. Motivada a desvendar o impacto e as raízes de um crime que passou anos despercebido pela polícia, Callahan se desdobrou em uma investigação apurada do caso que chocou os Estados Unidos em 2012. O livro Predador Americano é o resultado de anos de entrevistas com figuras-chave na aplicação da lei e na vida de Keyes, além de pesquisas descobertas em arquivos confidenciais do FBI."


Ou seja, o que mais chama a atenção no livro é a riqueza de detalhes obtida por uma característica do trabalho dela como jornalista que é esse perfil investigativo.


E se eu falasse aqui que esse é o segredo para ser um bom jornalista, estaria mentindo. Saiba que não existe um segredo único para ser um bom jornalista, mas existem algumas características e habilidades que são essenciais para o sucesso na profissão. E podemos destacar ainda a curiosidade como uma delas, e caso você não seja uma pessoa naturalmente curiosa, comece a desenvolvê-la, já que um bom jornalista deve ser curioso e estar sempre em busca de novas informações. Essa curiosidade deve ser acompanhada de uma mente aberta e de uma disposição para questionar tudo.


Outra característica na escrita que chama a atenção é o conhecimento sobre o zeitgeist (espírito do tempo). Não só os empresários do mundo da moda foram mencionados, como os músicos da época, os atores e seus cônjuges, cantores, bandas, o que era sucesso na MTV, o que estava acontecendo no cinema e a influência disso tudo.


Isso também me lembra de outra característica importante para o jornalista de moda que não é apenas pensar em roupas e marcas, mas entender o contexto cultural por trás de determinados períodos, pois a moda nada mais é do que um reflexo social. Então antes de pensar sobre shapes, tecidos e a inspiração do estilista, é importante conhecer tudo que está acontecendo no mundo das artes, na arquitetura, no cinema e também na cultura pop, gostando você ou não.


Por fim, relacionando também ao livro, outro ponto que achei interessante foi a menção aos fotógrafos. E aqui cabe um parêntese, pois os fotógrafos envolvidos faziam parte da história, mas o estudo sobre fotografia de moda não é uma área de estudo onde existam muitos materiais. Normalmente esses conteúdos são estudados por publicitários, estudantes de fotografia e cinema. Porém como acompanhar esse tipo de material faz parte das minhas leituras, percebo que entender sobre os fotógrafos importantes de cada período e conhecer sua estética e estilo deveria fazer parte do repertório de um bom jornalista de moda.


E para finalizar, já que mencionei a palavra repertório, faça disso o seu mantra: aumente o seu repertório cultural! Seja através de leituras, filmes, exposições, músicas… Converse com pessoas diferentes, consuma conteúdos diferentes mesmo que isso não te agrade. Saiba o que está acontecendo no mundo e tente desenvolver um olhar antropológico e bons estudos!






Comments


pos.png
    bottom of page