MATERNIDADE, SALA DE AULA E COSTURA


E aí mamães (e papais)? Como estão as coisas por aí?


Semana passada durante uma live ao vivo fechada para os alunos, cerca de 100 pessoas estavam comigo e depois o vídeo entraria para a plataforma onde temos mais de 2400 alunos, minha filha Eugênia, entrou em casa correndo, querendo ver o que eu estava fazendo e acabou aparecendo na live.


Como antes da pandemia eu saia para trabalhar as 17h e retornava à meia noite, em função do deslocamento, pois a universidade onde dou aula fica em outra cidade, o período que faço lives, a noite, posso contar com a ajuda do meu esposo, que neste horário aproveita para visitar minha sogra, junto com a Eugênia


Daí neste dia aconteceu que eu me estendi um pouco mais, eles chegaram, Eugénia cansada, “invadiu” a aula e queria ver os alunos, já que anteriormente ela até via minhas alunas via Skype.


Eu sei que não deveria me sentir culpada em relação a isso, pois em tempos de pandemia e home office tudo isso é mais do que aceito.


E lembro dos meus pais que sempre trabalharam conosco junto. Minha mãe se dividia entre a costura e os cuidados.. meu pai as vezes nos levava junto para fazer entregas.

Uma vez minha irmã até passou mal no meio da loja de um cliente do meu pai, ela vomitou todo o chão da loja, um horror. Mas lembro da naturalidade do meu pai com toda a situação.


É engraçado isso, e deixo aqui uma reflexão, porque nos sentimos culpadas? Eu me pergunto o tempo todo.


Porque me sinto tão culpada, querendo que tudo saia exatamente como havia planejado, se poder trabalhar em casa com minha filha é uma verdadeira benção por estar em contato com ela, passando meus valores e claro, acompanhando as atividades dela de perto.


E além disso, ter estado com meus pais, no dia a dia do trabalho deles também foi muito rico pra mim e minha irmã, pois além de aprender o ofício deles, estávamos juntos, fortalecendo nosso vínculo familiar e aprendendo os valores que eles queriam nos passar, na prática.


Você já se questionou sobre isso? Deixo essa reflexão pra você também! Um beijo e até o próximo post.